Silenciando a Vergonha - Kris Vallotton

Setembro 4, 2015

Já alguma vez ouviste aquela pequena voz na tua cabeça dizer…?

“Tu não pertences”

“Ninguém gosta de ti”

“Tu és estúpido”

“Tu és o único que fez este erro”

“Como é que Deus te pode amar? Quer dizer, Ele sabe mesmo tudo sobre ti”

“Tu não és amável”

“Tu nunca vais concretizar o teu destino”

Já alguma vez te sentiste como se…?

“Todos estão contra mim”

“Eu não sou tão bom como os outros”

“Eu simplesmente não consigo fazer nada certo”

“Talvez se eu me esforçar mais, depois…”

“Eu estou completamente sozinho”

“Eu odeio-me”

“Eu não sou um inútil”

Se tu respondeste “sim” a alguma destas declarações, a vergonha pode estar a falar contigo.

A Vergonha tem estado a falar desde o Jardim do Éden

Quando Adão e Eva pecaram primeiro no Jardim do Éden, a culpa foi um sintoma apropriado para a desobediência deles. A culpa nasce na nossa consciência para nos fazer saber que nós fizemos algo que afecta a nossa relação com Deus.

A culpa é na verdade uma coisa boa. É como se fosse uma luz de aviso no painel do carro que nos deixa saber se algo precisa de atenção antes que o motor arrebente.

Culpa é de Deus

Vergonha é do Diabo

A Culpa diz, “Tu fizeste algo errado,” tal como quando o apóstolo Paulo disse, “Todos pecaram” (Rom. 3:23). A Culpa diz, “Eu fiz algo mau.” Culpa está relacionada com o que nós fizemos.

A vergonha vais mais à frente: Ela fala-te sobre quem tu és.

A vergonha é a sensação de nos sentirmos indignos. É uma fundação (até mesmo subconsciente) de uma crença de falta de valor.

A Vergonha diz, “Tu estás errado.” “Tu és um pecador.” “Tu és mau.” “Tu não és bom o suficiente.”

A Vergonha pergunta, “Quem é que pensas que és?”

A Vergonha tenta falar à nossa Identidade

Se o inimigo nos conseguir convencer de que nós não temos uma identidade espiritual como filhos de Deus, então ele pode desviar-nos do nosso destino sobrenatural.

Quando Jesus foi baptizado, ele ouviu o Pai dizer, “Este é o meu filho…” Identidade. É interessante que Jesus não pregou uma só mensagem, não curou uma só pessoa doente, nem profetizou sem primeiro ouvir a sua verdadeira identidade. Nós só conseguimos cumprir o nosso destino sobrenatural na mesma medida em que acreditamos na nossa identidade sobrenatural.

A Vergonha tenta nos desviar da nossa Identidade

Depois do seu baptismo, Jesus foi guiado para o deserto para ser tentado pelo diabo. Duas vezes, o diabo assaltou a identidade de Jesus quando ele lhe desafiou, dizendo, “Se tu és o Filho de Deus, transforma estas pedras em pão.” E depois, “Se tu és o Filho de Deus, joga-te do pináculo do templo.”

O inimigo estava a tentar seduzir Jesus para executar algo para provar a sua identidade porque ele sabia que se Jesus aceitasse o desafio, isso iria demonstrar que ele na verdade não sabia quem ele era. Além disso, ele teria que passar o resto da sua vida a provar a sua identidade. Saber a nossa identidade previne que haja performance para sermos aceites.

A Vergonha é a origem do Perfeccionismo

A Vergonha sempre procura seduzir as suas presas para o perfeccionismo. Quando nós damos ouvidos à vergonha, nós nunca nos sentiremos seguros na nossa identidade. Nós precisaremos sempre de fazer algo mais para provar que “nós somos O.K.”, sem nunca realmente apaziguar o apetite da vergonha pela aprovação.

A busca de nos sentirmos dignos através de sermos melhores, mais bem-sucedidos, mais magros, mais inteligentes, mais ricos, mais realizados, ou até mesmo, num “bom” negócio, é uma tentativa fútil de cultivar um sentimento divino de dignidade.

O apóstolo Paulo diz em Efésios 2:10 que, “Porque é pela graça que estão salvos, mediante a fé. E isto não é mérito vosso, é dom de Deus. Não vem das obras para que ninguém se glorie” Isto significa que tu não podes ganhar dignidade. Nós somos dignos do amor de Deus por causa da Sua graça – nada mais.

Adicionalmente, nós éramos tesouros de Deus antes de nós nos termos tornado Cristãos – “Quando ainda éramos pecadores, Cristo morreu por nós (Romanos 5:8).” Quando Deus criou Adão e Eva, Ele disse que os dois eram “bons;” eles tinham valor intrínseco – merecimento – os Seus tesouros.

Silenciadores da Vergonha

  1. Aprende como reconhecer e distinguir a voz de Deus, da voz do diabo.

Pergunta-te, “O que eu estou a ouvir é uma verdade ou uma mentira?” Tenta escrever todas as vezes que a vergonha tenta falar contigo durante o dia. Podes ficar surpreendido sobre o quão frequente a vergonha fala contigo.

  1. Aprende a ser vulnerável.

A vergonha ama segredos. A verdade nos libertará. Ser aberto e honesto requer grande risco, mas também tem uma grande recompensa. Começa contigo mesmo, Deus, e depois com alguém que te possa dar um bom comentário. Dizer a alguém que nós temos estado a ouvir a vergonha liberta-nos do poder do secretismo, e silencia a vergonha.

  1. Aprende a reconhecer os teus sentimentos.

Empatia é o antídoto da vergonha. Quando nós estamos aptos para discernir e identificar os nossos sentimentos e os sentimentos dos outros, criamos um caminho para descobrir o que é que precisamos de Deus, dos outros e de nós mesmos. Pergunta-te, “O que é que eu estou a sentir agora?” “O que é que eu preciso?”

  1. Aprende a colocar todo o pensamento cativo.

Tu vais ser tentado a acreditar e a reagir de forma negativa, dolorosa e disfuncional às mensagens que a vergonha te manda. A vergonha é silenciada quando nós tomamos responsabilidade pelos nossos erros, deficiências, e limitações, como também, interpretar os motivos dos outros correctamente. Toma responsabilidade em submeter pensamentos e sentimentos de vergonha, para que estes sejam obedientes à perspectiva de Cristo (2 Corinthians 10:5).

  1. Aprende a ouvir com ouvidos de fé.

Pergunta-te, “O que é que Deus me quer dizer sobre a minha identidade, neste momento?” “O que é que Ele pensa sobre mim?” Adicionalmente, começa a ler Escrituras sobre a perspectiva de Deus sobre ti, de que tu és um bom homem ou mulher, que tu és um santo salvo pela graça, um vencedor, a menina do Seu olho.

  1. Aprende a ser grato.

O facto é que tu foste formado de uma forma maravilhosa (Psalms 139:14). Ser grato por como Deus te fez, com todas as tuas limitações e imperfeições, vai ajudar-te a substituir a vergonha por aceitação e amor. Todas as vezes que ouves as mensagens que a vergonha deixa na tua caixa de correio mental, apaga-as com gratidão. A Gratidão prepara o caminho para o livramento.

Conta-me como esta mensagem te ajudou a silenciar as mensagens que a vergonha te tem mandado.

E depois, espera por mais conselhos importantes e práticos sobre como silenciar a vergonha, brevemente!

Topics: IdentidadeSem categoria


¡

comments