Porque é que Hoje Te Deves Rir de Ti À Grande - Kris Vallotton

Setembro 13, 2017

Alegria Séria

Os Cristãos devem ser as pessoas mais alegres do planeta! Pensa bem—Jesus orou, “Mas agora vou para ti [Pai], e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos.” (João 17:13). Jesus quer que estejamos cheios da Sua alegria! Hebreus 1:9 diz que Jesus era ungido com óleo de alegria, mais do que os seus companheiros. Isto significa que Ele era mais alegre que as pessoas com que ele andava!

Para nos fazer ainda mais alegres, Deus enviou o Espírito Santo para nos confortar. É incrível que Ele quer que estejamos confortáveis. Mas espera, há mais e melhor. A Bíblia diz que o fruto e a evidência de que temos o Espírito Santo a trabalhar em nós é “amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, gentileza, autodomínio . . .” (Gálatas 5:22–23). Aqui está a palavra alegria outra vez. Nós temos ambas a alegria de Jesus e a alegria do Espírito Santo. Percebes? Foi-nos dada uma dupla unção de alegria!

Alegria é uma Emoção Estranha

Agora, se isto não te torna excitado, então e isto: “Com efeito, o reino de Deus não é questão de comida e bebida, mas é questão de justiça, paz e alegria no Espírito Santo.” (Romanos 14:17). Uau, um terço do Reino é alegria! O apóstolo Pedro diz “alegrais-vos, com gozo inefável e glorioso” (1 Pedro 1:8). Mas a alegria é uma emoção estranha para muitos Cristãos, porque os espíritos de religiosidade têm entrado furiosamente nas suas almas e têm roubado a abundante vida que Jesus comprou para eles.

O Poder da Gargalhada

O que não pode ser expressado com palavras é muitas vezes expressado com uma gargalhada. É extremamente difícil estar feliz e não rir! As pessoas sabem desde sempre que — uma boa, honesta gargalha que vem desde a barriga, claro que; não aquela que é para escarnecer—faz-nos sentir melhor. Salomão disse à milhares de anos atrás: “O coração alegre serve de bom remédio” (Provérbios 17:22). No entanto, a medicina moderna só tem estudado à séria os benefícios do riso há cerca de trinta anos.

Norman Cousins é mais frequentemente creditado por colocar o poder de cura do riso no mapa cientificamente. Cousins era um jornalista político e ativista que, depois de uma viajem extenuante à Rússia, desenvolveu espondilite anquilosante, uma forma de artrite na coluna. Quase imobilizado pela dor, foi informado pelo seu médico que apenas uma pessoa em cada quinhentas recupera desta condição. Com isto, Cousins decidiu tomar medidas com as suas próprias mãos. Com a ajuda de um dos seus médicos, ele planeou um método de tratamento pouco ortodoxo. Ele saiu do hospital e foi para um quarto de hotel, parou de tomar medicação para as dores e começou a tomar doses altas de vitamina C e passou horas a ver filmes do velho Marx Brothers e paródias do Candid Camera para provocar gargalhadas.

“Resultou,” Cousins registou no seu livro Anatomy of an Illness. “Eu fiz a feliz descoberta de que dez minutos de gargalhadas genuínas, daquelas que vêm da barriga têm um efeito anestésico e davam-me pelo menos duas horas de sono sem dor.”[1] Após algumas semanas do seu “tratamento”, a dor do Cousins diminuiu de tal forma que ele pôde voltar ao trabalho e, continuou até que teve uma recuperação completa.

Os Cientistas, agora, têm diversas teorias sobre como o riso pode aliviar a dor. Eles acham que o riso liberta endorfinas, o que relaxa os músculos e, talvez, simplesmente distrai-nos. Todos eles concordam, contudo, que o caso do Norman Cousins não era um caso especial. O riso é definitivamente um analgésico! Eles também têm descoberto que o riso faz uma série de outras coisas boas no nosso organismo, mentes, emoções e relacionamentos.

O ato físico de dar uma gargalhada ajuda o nosso corpo em três formas básicas. Primeira, faz a mesmo coisa que um treino no ginásio—faz os nossos pulmões respirar mais profundamente, os nossos corações bater mais rápido e muitos outros músculos envolvidos, e por isso, melhora a nossa circulação sanguínea e pressão arterial. Segunda, relaxa os nossos corpos e faz com que os nossos cérebros parem de produzir hormonas de stress que suprimem o nosso sistema imunológico, desgasta-nos e torna-nos vulneráveis a doenças. Em 2005, os médicos da Universidade do Centro Médico de Maryland declararam que o riso é uma das “melhores medicinas” para nos proteger da principal causa de morte, doenças cardíacas nos Estados Unidos, porque impede que o stress diminua o revestimento dos nossos vasos sanguíneos.[2] Terceira, o riso ativa o nosso sistema imunitário. Estudos mostram que o riso aumenta as nossas defesas contra o cancro, viroses e problemas no sistema respiratório.[3]

Terapia do Riso

A gargalhada e o humor são ferramentas vitais para criar e sustentar uma saúde mental e emocional, o que, claro, directamente afecta a nossa saúde física. Os muitos stresses que vivemos produzem emoções negativas como medo, pesar e raiva. A não ser que estas sejam processadas por lançamentos catárticos como rir, chorar ou gritar, elas torna-se tóxicas no corpo e na mente. O número crescente de profissionais de saúde mental no movimento do “riso terapêutico” argumenta que, assim como o riso a nível físico combate hormonas de stress que são nocivas, também estimula agentes úteis de combate a doenças. A nível emocional e mental, o riso não só faz cessar pensamentos e emoções negativas; também produz emoções positivas como esperança e júbilo e, faz com que possamos criar perspectivas novas e mais otimistas sobre as nossas circunstâncias.

Ri-te a Caminho da Tua Plenitude

Muito antes de ter lido algo sobre o que os cientistas têm estado a estudar e a aprender com as experiências com o riso, Deus já estava a causar o Seu povo rir para que chegassem a um estado de plenitude. Enquanto muitos gozavam e escarneciam, milhões de pessoas estavam se tornando plenas, cheias e completas em todos os níveis. Eu acho que Salomão tinha razão quando ele escreveu há milhares de anos atrás, “O coração alegre serve de bom remédio” (Provérbios 17:22). Talvez seja tempo para que a Igreja do Deus vivo tornar-se uma farmácia!

Já experimentaste o poder curativo da gargalhada? Conta-me nos comentários abaixo.

 

[1] Norman Cousins, Anatomy of an Illness, (New York: W.W. Norton & Company, Inc., 1979), 43.

[2] Michelle W. Murray, “Laughter Is the ‘Best Medicine’ For Your Heart,” July 14, 2009, UMM.edu, (http://www.umm.edu/features/laughter.htm), accessed September 15, 2010.

[3] Marshall Brain, “How Laughter Works,” April 01, 2000, HowStuffWorks.com, (http://health.howstuffworks.com/mental-health/human-nature/other-emotions/laughter.htm), accessed September 15, 2010.

Topics: LiberdadeSem categoria


¡

comments