Porque É Que As Conversas Que Tens Contigo Mesmo São Importantes - Kris Vallotton

Julho 26, 2017

Falar contigo mesmo é uma das forças mais influentes na tua vida. O reino que acreditas que tens dentro de ti é o reino que vais reproduzir à tua volta. Portanto, o que tu acreditas sobre ti determinará o teu comportamento. Eu acredito que os nossos pensamentos internos, as coisas que nós temos falado sobre nós mesmos em silêncio no nosso dia a dia são manifestadas nos nossos relacionamentos, carreira e destinos. Isto pode não ser uma novidade para alguns de vocês, mas às vezes, uma conversa negativa connosco mesmos pode surgir se nós não tivermos conscientes de como nos relacionamos com a nossa própria alma. Então, que nome te chamas a ti mesmo todos os dias? “Perdedor” ou “vencedor” ou tens outras alcunhas?

CONDENAÇÃO OU CONVICÇÃO

Uma distinção importante a fazer quando consideramos a forma como pensamos sobre nós mesmos e, com isso, a cultura que construímos nas nossas mentes é a diferença entre a condenação e a convicção. A condenação vem do diabo e diz: “Tu mentiste, e por isso, tu és um mentiroso.” Ou, “Tu estás bêbado, então és um alcoólatra.” Uma vez que o diabo te convence de que o teu comportamento é a tua identidade, ele pode deixar-te em paz, porque agora tu vais AGIR sempre, de acordo com QUEM és.

A convicção vem do Espírito Santo. Quando fazes algo errado, a convicção diz: “Tu és demasiado bom para estares a agir desta forma. Pára com isso! Estás a agir contra a tua identidade.” Portanto, fazendo um inventário dos teus pensamentos, certifica-te de que não estás a concordar com a voz da condenação. Confia em mim quando te digo que a condenação é uma mentira atrevida, que não é digna de nem um segundo do teu tempo.

Qual É A Tua Alcunha?

Se recebeste uma alcunha, tu vais passar a tua vida a tentar não agir na tua identidade. Chamar alguém de falhado, alcoólico, prostituta, tolo, etc. faz com que a pessoa tente viver de acordo com o “nome” que recebeu ou faz com a pessoa construa um sistema de responsabilidade que os controla, tentando mantendo-os puros.

Por exemplo, eu gosto do programa dos Alcoólicos Anónimos, excepto o facto da introdução padrão: “Olá, eu sou o João e sou um alcoólico.” Eu entendo o que é que o programa está a tentar fazer: confessa os teus pecados para que possas ser perdoado e admite que tens um problema para que possas ser ajudado. (Tu não podes ajudar uma pessoa que não tem um problema). MAS eu não sou o meu comportamento, a não ser que, eu acredite que eu sou. Consequentemente, os AA, por si só, não cura ninguém. Na melhor das hipóteses, simplesmente muda o comportamento das pessoas.

Tu simplesmente não consegues curar uma pessoa convencendo-a de que ela é uma coisa e depois criares um sistema para a ajudar a comportar-se de maneira diferente! E com isto, fazes com que uma pessoa fique presa a uma vida de consultas que são feitas para que ela não beba mais. Isto é muito melhor do que continuar a beber e a estragar famílias, por isso, obrigada AA! Contudo, isto nunca restaurará a verdadeira identidade da pessoa, apenas aprisiona as más ações.

A VERDADE TE LIBERTARÁ

Mas a Bíblia diz que nós somos nobreza, realeza, e filhos do próprio Deus. Esta é a verdade e ela te libertará, em vez de, simplesmente modificarmos o teu comportamento! Hoje, eu quero te encorajar a tomar algum tempo com o Espírito Santo e deixar que Ele examine os teus pensamentos. Toma nota dos nomes que tens falado sobre ti mesmo ou alcunhas que outros tentaram colocar em ti durante a tua vida. Depois, dá tudo isso a Deus e deixa que Ele traga liberdade – traga verdade sobre ti. Anota isso e escolhe ser isso todos os dias.

Que nomes falsos as pessoas têm te chamado e o que é que Deus te chama ao invés disso? Conta-me nos comentários abaixo.

Topics: IdentidadeLiberdadeSem categoria


¡

comments