Doutores, Medicina e Pessoas Quebradas - Kris Vallotton

Abril 27, 2016

Eu tenho andado a escrever uma série sobre temas controversos que costumam aparecer sempre em conversas de pessoas que são contra a Bethel ou que não entendem a nossa posição em alguns assuntos. Podes ver os artigos anteriores AquiAqui e Aqui. Este artigo vai ser sobre doutores, medicina e restaurar pessoas quebradas.

Doutores e Medicina

Há um rumor que continua a reaparecer de que a Bethel Church não acredita em doutores ou medicina. Jesus disse, “…Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes.” Eu não conheço ninguém no nosso staff que não vá ao médico se não ficar bem depois de orarem. Nós temos um médico chamado Dr. Andre VanMol que faz parte do conselho da Bethel Church por muitos anos, juntamente com uma assistente médica chamada Julie Winters, que também serve no nosso conselho.

Eu acho que o rumor possa ter começado por causa da maneira como nós avisamos as pessoas sobre o que elas podem experienciar quando vão ao médico depois te ter recebido um milagre nos seus corpos. Muitos doutores simplesmente não acreditam em milagres. E, por isso, quando alguém é instantemente curado de uma doença que é verificada medicamente e volta ao médico para verificar a cura, às vezes, o médico recusa-se a reconhecer a cura, mesmo que todos os testes voltem negativos e os sintomas desapareçam por completo. (Francamente, eu acho que alguns médicos têm simplesmente medo de serem processados por falha no diagnostico ou por pensarem que os seus pacientes os vão fazer de malucos).

Devido ao facto de a fé ser um factor enormíssimo nos milagres (Jesus muitas vezes disse, “…a tua fé te curou,”), é imperativo que as pessoas que recebem cura divina não comecem a duvidar que estão bem e depois acabarem doentes outra vez. Por isso, nós dizemos às pessoas que devem consultar o médico para verificar a sua cura, mas elas devem estar bem cientes que esta dinâmica é bastante comum entre a comunidade médica.

Pessoas Quebradas

Nada me incomoda mais do que aquilo que é frequentemente reportado sobre a nossa perspectiva na graça de Deus e o que é considerado como falta de convicção de viver em santidade ou grande carácter. Na verdade, nós temos tanta paixão por ver pessoas a viver vidas santas que eu escrevi o livro chamado Moral Revolution. Nós também começámos um ministério com o mesmo nome para ajudar a semear esta moralidade no coração das nações. (Vejam MoralRevolution.com.)

O Bill e a Beni Johnson têm sido os nossos líderes espirituais por mais de 35 anos. Eles são as pessoas mais honestas, íntegras, carinhosas e santas que eu alguma vez conheci na minha vida. A sua paixão INTENSA pela presença e pureza de Deus fez com que a Kathy e eu desistíssemos de quatro negócios (que gastámos 20 anos a construir) e o seguíssemos até Redding.

Jesus Ama os Pecadores

Nós acreditamos, contudo, que a mensagem principal do evangelho é que Jesus ama os pecadores. Não somente Jesus tem uma paixão imensa por eles, como Ele também tem o poder de transformar qualquer pessoa, não importa o quão fundo a pessoa tenha caído ou o quanto a pessoa falhou. Esta tem sido o tema central do nosso ministério por mais de três décadas.

Jesus demonstrou isto da melhor maneira quando Ele escolheu Judas para ser o tesoureiro do Seu ministério, apesar de Ele saber que ele era um ladrão. Porque é que Ele iria fazer isso, perguntas tu? Porque Jesus acreditava nas pessoas ANTES de elas merecerem, o que fez com que onze homens se tornassem transformadores do mundo, e um se enforcasse. (Claro que até mesmo um dos Seus transformadores do mundo caiu por um tempo e O negou. Mas Jesus trouxe-o de volta e fez com que ele fosse um pilar da igreja e uma pedra na fundação do templo celestial).

A Minha História

Eu sou um testemunho vivo da maravilhosa graça de Deus que os Johnson estenderam sobre mim. Embora eu não vivesse em pecado quando eu os conheci, eu era um jovem muito quebrado. O Bill escolheu acreditar em mim quando eu não merecia. Ele falou força nas minhas fraquezas, ele foi bondoso, mesmo quando eu era muitas das vezes rude, ele capacitou-me e deu-me poder para liderar com ele, enquanto todas as minhas imperfeições públicas continuavam em mim. Basicamente, a fé dele transformou a minha vida.

As nossas famílias cresceram juntas numa pequena igreja no campo situada nas montanhas, no norte da Califórnia, a uma hora da sociedade. Esta experiência de deserto tornou-se um laboratório onde estes valores fundamentais se enraizaram e foram vividos nas nossas vidas do dia-a-dia. Ao longo dos anos, esta cultura de misericórdia e graça atraíu muitas pessoas sem virtude e quebradas. Como os homens valentes de David, muitos deles foram transformados e tornaram-se grandes crentes.

Outros em quem nós confiávamos partiram-se e queimaram-se, deixando um caminho de destruição no seu rasto. Porém, nós decidimos que não vamos deixar as pessoas que falharam ditarem as nossas convicções interiores. Mas cada momento em que alguém cai, nós tentamos e aprendemos como fazer um melhor trabalho a restaurar, capacitar e guiar pessoas. Conforme os anos passavam, as nossas capacidades de liderança desenvolveram-se um pouco dramaticamente, no entanto, alguns continuam a escolher destruir as suas vidas e as vidas daqueles que lhes rodeiam com pecado.

Cultura de Misericórdia

Nós naturalmente trouxemos esta cultura de misericórdia e graça connosco para a Bethel Church. A única diferença é que Deus tinha-nos dado uma plataforma muito maior, por conseguinte, as nossas convicções de valores fundamentais têm sido espalhadas pelo mundo. Esta cultura de capacitar tem comissionado milhares de crentes para trazer o Reino de Deus aos quatro cantos do planeta. Contudo, um número relativamente pequeno de pessoas tem tirado vantagem da fé que temos neles e tem abusado a nossa liberdade. Eles têm naufrágios e têm magoado muitas pessoas.

Se gostarias de subscrever a minha newsletter, inscreve-te aqui: https://krisvallotton.com/

Já experimentaste esta cultura de misericórdia? Conta-me sobre isso nos comentários abaixo.

Topics: IdentidadeSem categoria


¡

comments