8 Coisas Para Fazer Quando A Guerra Espiritual Se Torna Real - Kris Vallotton

Outubro 4, 2017

Achas que estás a andar pelo vale da sombra da morte? Pode parecer como o lugar mais assustador e solitário. Eu conheço bem esse vale. Eu já passei por ele em diferentes épocas da minha vida e aprendi que há uma coisa que devemos fazer quando estamos nesse vale—andar. É suposto andarmos até passarmos por ele! Eu aprendi isto da forma mais difícil, num tempo logo após eu e a Kathy casarmos. Eu cometi o erro de acampar no vale por três anos, não porque eu queria, mas porque eu tinha aprendido que Cristãos não podiam estar endemoninhados. Este ensino preparou-me para lutar contra a minha própria carne, em vez de, espíritos que estavam me atacando todos os dias. A verdade é que a atmosfera espiritual é real e anjos e demónios estão bem ativos na terra quer nós vejamos isso ou não.

A Minha História De Inferno Na Terra

Enquanto a Kathy lutava o seu caminho durante a sua gravidez, eu tinha toneladas de responsabilidades na loja. Eu trabalhava doze horas por dia, seis dias por semana e, raramente, parava para almoçar. Consequentemente, a minha dieta consistia em barras de doces, Coca-Cola e batatas fritas. Uma noite, exausto de uma semana difícil de trabalho, eu estava na banheira a relaxar o meu corpo cansado enquanto a Kathy estava deitada doente no sofá. Quando eu comecei a sair da banheira para me secar, um pensamento intenso veio à minha cabeça: Eu vou morrer!

Tal como toda a gente no mundo, pensamentos maus não era uma coisa estranha para mim, mas este era diferente. Este pensamento era tão forte que me causou um sentimento de pânico em todo o meu ser como se uma manada de animais estivesse à solta! Todo o meu corpo começou a tremer à medida que o meu coração batia quase para fora do meu peito e o meu pulso batia incontrolavelmente. Toda a minha força saiu das minhas pernas e eu lutava para sair da banheira. Eu caí de volta na água, gritando à Kathy que me ajudasse. Grávida de oito meses, ela ajudou-me a sair da banheira para o sofá. Depois, correu para a cozinha para chamar o nosso médico de família. Ele fez algumas perguntas através da Kathy e concluiu que eu estava a ter um ataque de pânico e não um ataque cardíaco. Mal sabia eu que esse era o início de uma viagem de três anos e meio pelo inferno.

Viajando pelo Inferno e Chamando pelo Céu

Os ataques de pânico tornaram-se incontáveis, pesadelos atormentadores. Imagens horríveis enchiam a minha mente enquanto eu imaginava coisas terríveis acontecendo-me ou eu imaginava-me fazendo atos terríveis. Apesar de eu saber no meu coração que aquelas imagens e pensamentos eram apenas ilusões, elas pareciam e sentiam reais. Muitas vezes, eu pensei que estava a ficar maluco.

Por fim, a Kathy e eu decidimos deixar os nossos trabalhos e mudámo-nos para as montanhas para encontrar um ritmo de vida mais calmo. Fomos para Lewiston, na Califórnia, uma cidade com cerca de novecentas pessoas nos Alpes da Trinidade. À medida que o tempo passou, o medo intensificou-se afectando cada aspeto das nossas vidas.

Ataques espirituais e uma Fuga da Prisão

Dois anos passaram sem qualquer alívio. Depois, quando eu pensava que já não nada podia ser pior que isto, eu comecei a experenciar visitações demoníacas. Demónios literalmente apareciam no meu quarto à noite para me atormentar. As luzes acendiam-se e apagavam-se e, ao mesmo tempo, fotografias caíam das paredes! O telemóvel tocava a cada poucos minutos com pessoas dizendo coisas loucas na outra extremidade da linha. Eu estou consciente que há muitas pessoas que não acreditam em espíritos, demónios e anjos, por isso, este parágrafo talvez seja um pouco difícil de engolir. Mas se estás a ler este blog e já tiveste ou tens estado a ter este tipo de experiências, eu espero que acredites nelas agora.

No terceiro ano desta terrível tempestade, a Kathy teve a nossa segunda filha linda, a Shannon, mas a minha vida estava a tornar-se insuportável. Mas, numa manhã fria de inverno, bem cedo, algo começou a acontecer. Eu me levantei às 3:00 da manhã e liguei o rádio em volume baixo e deitei-me ao lado da coluna, para que, assim não acordasse a minha família. Nós não tínhamos uma boa qualidade de rede nas montanhas, mas eu pensei em encontrar algum programa que me ajudasse a tirar a minha mente da condição em que estava. Por fim, eu encontrei um pregador. A rede era tão má que eu só conseguia perceber a cada terceira ou quarta palavra da mensagem. No entanto, no meio de todo o ruído, eu ouvi-o dizer algo que mudou para sempre a minha vida. Ele citou a exortação de Paulo a Timóteo: “Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.” (2 Timóteo 1:7). Em seguida, ele continuou a explicar “O medo é um espírito! Alguns de vocês estão a pensar que estão a ficar malucos, mas vocês apenas estão a ouvir o espírito de insanidade! Nem todos os teus pensamentos são teus. Espíritos demoníacos falam contigo dando-te os seus pensamentos.”

Eu estava pasmado! Eu fui ensinado que Cristãos poderiam estar mentalmente doentes mas não podiam estar endemoninhados. O que eu não percebi até aquela noite foi que eu tinha sido educado fora da minha solução.

Eu desliguei o rádio e perguntei a Jesus, o que é que eu devo fazer. Imediatamente, eu ouvi uma Voz dentro do meu espírito dizer, “Tu tens estado a ouvir o espírito da insanidade e o espírito do medo. Diz-lhes para eles se irem embora agora mesmo!” Deitado com as minhas costas no chão da sala, eu disse com uma voz baixa, mas confiante, “Tu, espírito tu medo, e tu, espírito de insanidade, sai de mim agora mesmo, em nome de Jesus!”
Eu não conseguia ver nada, mas, de repente, eu senti algo sair do meu corpo. Fisicamente, parecia uma manta de chumbo, aquelas que os dentistas usam durante os raios-X e estava a ser tirada de mim. O tremer parou completamente, a paz voltou a encher a minha alma e a minha mente ficou limpa outra vez. Alegria encheu o meu coração e eu ri em voz alta pela primeira vez em três anos. Um milagre tinha acontecido na minha vida e eu estava ansioso por contar à Kathy e ao mundo sobre isso.

Aprendendo a Continuar Livre

Eu sabia que eu tinha experimentado algo incrível naquela noite, no entanto, eu não percebi que tinha recebido uma libertação real. O que eu experimentei naquela noite não foi um tipo de pique espiritual or uma ocorrência psicossomática. Eu fui liberto! Eu desfrutei de uma liberdade completa por mais de uma semana. Depois de três anos de inferno, foi maravilhoso estar cheio de paz. A minha alegria voltou, o meu apetite voltou e os sintomas físicos desapareceram. As visitas demoníacas acabaram e, pela primeira vez em anos, eu dormi uma noite inteira.

Mas breve eu encontrei a dura realidade de que ficar livre e continuar livre são duas coisas diferentes. Numa noite escura e fria, eu estava a conduzir do trabalho para casa no meu Jeep, passando pela floresta, numa estrada estreita e sem luz que seguia um amplo riacho. Eu estava contente por ter encontrado a minha nova liberdade que eu gritei em voz alta; “Eu vou contar a toda a gente sobre isto—Eu vou ajudar milhares de pessoas ficarem livres!”

Naquele momento, uma voz veio à minha cabeça gritando, “Se dizeres a alguém sobre isto, eu vou-te matar!” De repente, todos os meu sintomas voltaram. Eu tive um ataque de pânico tão grande que não conseguia conduzir. Eu parei à beira da estrada. O meu coração estava disparando e eu estava hiperventilando.
Depois, uma Voz bem calma mas poderosa perguntou-me: O diabo odeia-te? (Eu sabia, instintivamente, que era o Espírito Santo falando comigo.)
“Sim!” Eu respondi na minha mente.
“Então porque é que ele não te matou quando tu te salvaste?” a Voz continuou.
“Eu não sei,” Eu respondi, ainda tentando recompor a minha postura.
“Porque ele não pode! Ele não tem qualquer poder sobre ti a não ser que tu o dês,” a Voz insistiu.
Paz começou por voltar à minha alma e a ansiedade devagarinho começou a sair nos minutos seguintes.
Eu voltei a gritar outra vez, “Eu estou livre! Estou livre!”
Esta cena repetiu-se muitas vez nos anos seguintes, à medida que eu aprendia a continuar livre e a manter a minha paz.

Quem é o Inimigo?

É muito importante que entendamos que nós não estamos a lutar contra o homem velho, mas contra principados. A guerra é finalmente ganha quando tu reconheces que esses pensamentos não são teus e tu resiste-os. Efésios 6:10-13 (ênfase adicionada) diz “No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e, havendo feito tudo, ficar firmes.” Quando nós percebemos que o nosso velho homem ou a nossa velha natureza está morta, nós não tentamos lutar mais contra ela.

Porque estes pensamentos são manifestações de espíritos demoníacos e, não apenas, ideias más, quando tu decides resisti-las, forma-se um problema—uma batalha intensa pela terra no reino espiritual. A maioria das pessoas escondem-se ou desvia-se para tentar encontrar paz ou consolo em vez de pressionar e derrotar o inimigo.

Conflito Espíritual

Conflitos espirituais ocorrem muitas vezes quando nós avançamos para novos territórios que não são habitados por espíritos demoníacos. Tal como Josué e a sua experiência com a terra prometida ou Neemias com a reconstrução dos muros, o inimigo defende o seu território quando nós estamos a tentar andar para a frente, avançando para um nova terra. A maioria dos Cristãos não faz a menor ideia de que estes espíritos guerreiros são reais, então eles escondem-se ao primeiro sinal de conflito, falhando em reconhecer a primeira fonte da batalha. É importante perceber que espíritos demoníacos atacam através de pensamentos que são atraentes. Por outras palavras, eles fazem-te sentir que tu os queres, mesmo que eles sejam o oposto da tua história e natureza. Depois, esses mesmos espíritos acusam-te de teres esses pensamentos e emoções. Se tu acreditares nestas acusações, tu perdes a tua confiança em ti mesmo e na capacidade que Deus tem de te proteger. Isto começa uma espiral que te faz entrar em depressão, ansiedade e baixa auto-estima.

Guerra Prática

Algumas coisas que são importantes relembrar nestes tempos é que estes espíritos demoníacos não têm qualquer poder sobre ti (mesmo que pareça/te façam sentir que têm.) Em vez disso, tu tens poder sobre eles. Em segundo lugar, estas batalhas vêm como ondas e elas não duram para sempre. Lembra-te: se não é bom, não é o fim! E, por último, tu provavelmente, não fizeste nada de mal para causar esta batalha. Na verdade, é provável que estejas a experimentar esta batalha porque estás a fazer algo certo. Aqui estão algumas coisas em que te podes agarrar enquanto PASSAS pelo vale:

  1. Não tenhas medo, mas em vez disso, lembra-te do Senhor. Neemias 4:14 “E olhei, e levantei-me, e disse aos nobres, e aos magistrados, e ao resto do povo: Não os temais: lembrai-vos do Senhor, grande e terrível, e pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos, vossas mulheres e vossas casas.”
  2. Lembra-te de testemunhos na tua vida. Eles são armas para a guerra. Enche-te de fé agarrando-te a testemunhos da vida de outras pessoas também. Apocalipse 19:10 diz que o testemunho de Jesus é o espírito de profecia. O que significa, se Deus já fez antes, Ele pode e vai fazer outra vez!
  3. Lembra-te que o trabalho que estás a fazer é nobre. Neemias 6:3 (ênfase adicionada) diz, “E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer: por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco?
  4. Lembra-te de quem tu és! O inimigo vai tentar convencer-te que tu estás a ser derrotado, mas a verdade é que tu és um vencedor! Ele vai tentar convencer-te que tu és a pior pessoa do mundo, mas a verdade é que tu és a menina do olho do Pai, destinada a mudar o mundo! Declara a verdade sobre quem tu és sobre ti mesmo a cada assalto que vem contra ti.
  5. Confia em Jesus para te proteger! Judas 24 diz, “Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória—”
  6. Liberta a paz que está em ti cantando e proclamando Jesus. Relembra-te que a liberdade que está dento de ti tornar-se-á a liberdade à tua volta. Atos 16:25 diz, “E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. E, de repente, sobreveio um tão grande terramoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram as portas, e foram soltas as prisões de todos.
  7. Não importa o que aconteça, nada te pode separar do amor de Deus… nem mesmo o vale! “Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. ” (Romanos 8:38-39)
  8. Lembra-te que Deus nunca te deixa e andará contigo pelo vale! “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.” (Salmos 23:4)

Continua a Andar Hoje

Isto também há-de passar. Mesmo que nos sintamos malucos no vale, foi-nos dado uma mente sã! Aqui outra vez, temos que nos lembrar como nos sentimos  não é sempre como estamos. Eu quero te encorajar com este versículo: 2 Timóteo 1:7 diz, “Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.” Agarra-te a isto à medida que passas pelo vale e lembra-te que o objetivo é continuar a andar. Não faças uma tenda e não desistas!

Eu estou a orar hoje para que tenhas paz neste tempo, que Deus te proteja de noite e que a Sua voz seja a voz mais alta sobre ti. Eu oro para que pensamentos irracionais sejam dissolvidos em nome de Jesus e que o Espírito Santo limpe qualquer ilusão ou mentira do inimigo. Eu oro que os anjos estejam ao teu redor e que as pessoas certas venham para perto de ti neste tempo.

Se tu estás a lidar com o vale, eu quero te encorajar a ouvir uma mensagem que eu recentemente preguei na Bethel clicando aqui. Tu podes ver grátis com a tua conta na Bethel TV. Eu tenho tanta compaixão por todas as pessoas que estão a passar por isto e eu tenho muita esperança de que tu podes e vais ficar livre! Quais são algumas coisas que tu fazes para passar o vale? Conta-me nos comentários!

Topics: IdentidadeLiberdadeSem categoria


¡

comments