4 Coisas para Fazeres Quando Estás Deprimido - Kris Vallotton

Dezembro 27, 2015

Eu posso olhar para trás para a minha crise há muitos anos atrás e perceber agora que apesar de a minha depressão me ter afectado emocionalmente e espiritualmente, ela estava, na verdade, enraizada na dimensão física da minha mente e corpo. Eu ignorei muitos sinais de aviso que a minha mente tentava enviar meses antes de eu colapsar e queimar por completo. Eu estava exausto, mas eu continuava a esforçar-me, justificando de que eu tinha não tinha escolha. Muitos dias, eu deitava-me no chão durante o louvor, e mesmo antes de eu começar a pregar, eu adormecia.

Eu fiquei tão cansado de ministrar às pessoas que eu as ressentia. Eu estava constantemente sobrecarregado com pensamentos de que eu não tinha nada mais para dar. Tomar alguma decisão durante aquele tempo criava ansiedade em mim. Porém, eu ignorei todos os sinais de aviso até ao ponto em que eu acabei num desastre físico, emocional e espiritualmente falando.

Eu já conhecia o stress, ansiedade e guerra antes, mas desta vez era de uma forma tão intensa que eu não tinha vontade de me levantar do sofá, independentemente do quanto eu tentasse. Ao contrário do ataque demoníaco que eu experimentei há uns anos atrás, este esgotamento tinha origem no meu corpo. Eu deitei-me ali completamente incapacitado durante quase três meses. Pessoas de todo o mundo oraram por mim e encorajaram-me. Mas até que o sistema químico do meu corpo não estabilizasse, eu não conseguia funcionar.

Eu tenho de confessar que eu nunca acreditei em anti-depressivos. Quando eu pregava, eu na verdade não levava a sério as pessoas que os tomavam. Eu continuo a não acreditar que eles são a cura a longo-prazo para muitas pessoas. Eu acho que anti-depressivos são muitas das vezes máscaras para problemas profundos nas nossas vidas. No entanto, medicação anti-depressiva pode ter um papel em ajudar pessoas a funcionar com normalidade. Algumas pessoas que sofrem de deficiências crónicas nos neuro-transmissores são ajudadas de forma tremenda com este tipo de medicações. Muitos profissionais de saúde acreditam que devido a um dano cerebral ou a uma predisposição genética, algumas pessoas não possuem a capacidade de regular os níveis químicos do seu cérebro de forma normal.

Se tu pensares sobre isso, nós nunca vamos dizer a alguém na igreja que tem diabetes que se eles passarem mais tempo com Deus e orarem mais, eles podem parar de tomar insulina (a não ser que Deus lhes cure). Porém, é isso que nós sugerimos às pessoas cujos desequilíbrios químicos têm uma causa física. Nós encaramos mudanças de humor cuja origem está no ser físico, (o nosso cérebro é um órgão tal como o nosso pâncreas), com muito menos aceitação.

Eu acho que devemos dar mais graça às pessoas nesta área. Tu não consegues perceber quão intensa a depressão e a ansiedade podem ser a não ser que passes por isso, e nem todos os desequilíbrios químicos significam um demónio. Ás vezes, nós precisamos de dar às pessoas permissão para tomar medicação se elas precisarem dela – o que, na verdade, é um grande não-não em muitos círculos Cristãos. Frequentemente, estas pessoas sentem-se envergonhadas por tomarem este tipo de medicação. E, como resultado, elas esperam demasiado tempo para pedirem ajuda médica, adiando assim a sua cura. Eu sei, porque eu sou uma delas. Eu fui encorajado por pessoas muito carinhosas e bem intencionadas a não tomar medicação, mas depois de meses de inferno e centenas de horas de estudo, eu decidi que precisava de mais atenção médica. O meu objectivo é ajudar-te a perceber que nós somos um ser, três em um, e como cada uma das nossas três partes afecta as outras, em caso, se tu te encontrares na mesma situação em que eu estava tu podes pedir o tipo de ajuda que precisas para te tornares saudável.

O meu conselho para qualquer pessoa que tem lidado com altos níveis de depressão, ansiedade e exaustão por longos períodos de tempo é colocar as mãos à obra! Eu sei que parece impossível – o mesmo aconteceu comigo. Como eu disse, eu não me mexia do sofá durante três meses. Mas tu podes fazer algumas coisas que te podem ajudar neste processo.

1. Vai ao Médico

Visita um profissional de saúde respeitado e faz um exame físico completo, incluindo amostras de sangue que incorpora testes hormonais. Se a parte física da tua mente, aquela que regula os níveis químicos do cérebro não estiver a funcionar correctamente, é necessário uma intervenção médica.

2. Lê estes dois Livros

Eu também recomendo que tu leias estes dois livros. O primeiro é From Panic to Power: Proven Techniques to Calm Your Anxieties, Conquer Your Fears, and Put You in Control of Your Life pela Lucinda Bassett (Harper, 1996). O segundo é Who Switched Off My Brain? Controlling Toxic Thoughts and Emotions pela Dr. Caroline Leaf (Thomas Nelson, 2009). Eu já ofereci, pelo menos, cinquenta destes livros. Eles ajudaram-me imenso na minha hora mais escura. Ambos os livros contém uma riqueza de informação sobre a química do cérebro e como desintoxicar a nossa vida de pensamentos.

3. Toma Conta do teu Corpo

Toma conta do teu corpo agora mais que nunca. Faz o que puderes para dormires. Obriga-te a fazer exercício, mesmo quando não tens vontade. Come comida saudável, mesmo quando não tens fome. Fica completamente longe do açúcar e da cafeína. Apanha o mais que puderes da luz do sol, e tenta manter-te ocupado.

4. Ri-te

Trabalha no duro para cultivares momentos de alegria também. Vê filmes e faz coisas que te fazem rir muito. Rir é uma medicina natural. Rodeia-te de bons amigos que te apoiam em tempos difíceis. Acredita nas coisas positivas que eles dizem sobre ti, mesmo que as palavras deles não te pareçam verdadeiras. O mais importante, ora para que Deus te cure e restaure. Lembra-te quem és e de quem és.

Por último, eu quero te encorajar dizendo que tu sabes que isto vai passar. Nos últimos anos, eu conheci centenas de pessoas de todos os tipos de vida – incluindo algumas pessoas mundialmente famosas – que passaram por este tipo de situação em algum momento das suas vidas. Eu sei que quando tu estás no meio disto, o teu pior medo é, será que eu vou viver assim para o resto da minha vida? A resposta é não! Isto vai passar. Tu vais ficar bem!

Topics: LiberdadeSem categoria


¡

comments