Confiar em Deus Com As Nossas Grandes Perguntas - Kris Vallotton

Novembro 1, 2017

É difícil para ti acreditar em Deus numa área quando pessoalmente nunca O viste a intervir a teu favor? Eu conheço algumas pessoas que não conseguem entender o facto de que Deus cura porque nunca viram Ele curar antes. Eu não estou a dizer que isto é de propósito e, na verdade, muitas vezes a nossa incredulidade é passiva. Acreditas mesmo que Deus pode pagar uma dívida completa miraculosamente? Tu acreditas que Ele pode (e deseja) aparecer no teu trabalho todos os dias? Ou talvez tu estejas a enfrentar um gigante que te tem perseguido por anos e não fazes ideia de quando e como o teu rompimento ou milagre virá?

Se calhar estás a lidar com questões enormes sobre o carácter de Deus… Porque é que coisas más acontecem a pessoas boas? Porque é que Deus não pára com os ataques terroristas? Se Ele sabia que nós iríamos pecar no Éden, porque é que Ele meteu lá a árvore?

É importantíssimo que escolhamos confiar em Deus mesmo quando nós não entendemos ou quando as nossas experiências contradizem aquilo que nós sabemos ser verdade sobre Ele. Quando as nossas perguntas são maiores do que as nossas experiências podem explicar, confiar em Deus só vai depender de duas coisas, humildade e fé.

A Realidade É Maior Que O Nosso Entendimento

Então, o que é que fazemos com as coisas que nós não compreendemos sobre Deus? Vamos dar uma olhada em alguns paradigmas sobre o mundo primeiro…

Consegues imaginar uma pessoa, há 200 anos atrás, dizer-te que ela podia escrever a Bíblia inteira em algo do tamanho de uma unha e todos poderiam conseguir ler? Provavelmente irias pensar “Nem pensar! Ninguém conseguiria escrever assim tão pequeno. Isso é impossível.”

Claro, o teu paradigma não iria incluir o microchip, porque a tecnologia ainda estava por ser inventada. O teu entendimento sobre o mundo teria uma falha de 160 anos de descoberta, invenção e inovação.

O que eu quero dizer é que o nosso entendimento sobre o mundo à nossa volta e do mundo que está à nossa espera é limitado pelo tempo e espaço em que nós nos encontramos. O erro que nós cometemos frequentemente é que reduzimos a nossa realidade ao nosso entendimento e rejeitamos qualquer coisa que correntemente não consigamos explicar. Isto não só é verdade sobre a forma como interpretamos o mundo, mas também é verdade sobre a forma como muitas vezes interpretamos Deus. Nós temos que perceber que a verdade é muito maior do que simples factos.

O Inferno é Real?

Esta dinâmica toma lugar em todos os caminhos de vida, mas é especialmente predominante na ciência e teologia.

Um bom exemplo disto é o nosso entendimento sobre o inferno. Muitas vezes ouvimos falar de pastores dizendo, “Como é que um Deus bondoso pode mandar pessoas para o inferno?” Depois, eles começam a reinterpretar a Bíblia de acordo com o seu corrente entendimento sobre o Amor de Deus e a natureza de Jesus. Geralmente isto leva à conclusão que não pode haver inferno porque o conceito é incongruente com a sua corrente revelação de Deus.

A Experiência Não É Sempre A Resposta

Quando nós nos fiamos na nossa própria inteligência, nós reduzimos a realidade à nossa experiência. Racionalizamos que se nós não conseguimos entender ou experimentar então, não pode ser verdade. Este tipo de pensamento está incorrecto por várias perspectivas:

  1. Reduz a verdade à tua própria experiência e ignora as experiências de 7.2 biliões de outras pessoas no planeta. Faz a ti mesmo esta questão, “É possível que alguém no planeta saiba algo ou tenha experimentado algo antes de ti?”
  2. É como assumir que se Deus está a fazer alguma coisa no universo, então Ele iria certamente contar-te e mostrar-te em primeiro lugar. Claro que Deus fala connosco, mas seria de loucos pensar que Ele diria a só uma pessoa tudo o que Ele quer fazer antes de o fazer.
  3. Vive sobre o pretexto de que tudo o que é verdadeiro já foi descoberto ou revelado. É possível ver as falhas deste tipo de pensamento na ciência, quanto mais na teologia. Lembra-te, foi Deus mesmo que disse, “…Porque a terra se encherá do conhecimento da glória do Senhor, como as águas cobrem o mar.” (Habacuc 2:14) Por outras palavras, Deus vai revelar os Seus segredos que são extensos como o mar e tão profundos como o oceano. A conclusão aqui é que há ainda muito para aprender!
  4. Há muitas coisas no mundo que tu acreditas e que ainda não entendes. Muitos de nós já conduzimos um carro antes de percebermos como ele opera. Eu não conheço ninguém que não queira usar ar-condicionado só porque não entende como ele funciona.

Além disso, a maior parte de nós acredita de olhos fechados em coisas como, a Terra gira à volta do Sol. Alguém mais inteligente do que nós descobriu que isso era verdade e nós confiamos nele e, por isso, acreditamos nele. Uma percentagem muito pequena da população é que foi realmente verificar se isto era verdade ou não.

Até Mesmo Ateus Têm Fé

Por outras palavras, TODOS nós exercitamos fé todos os dias; pelo menos em outras pessoas. Ateus não são incrédulos ou não-crentes! Eles são apenas pessoas que escolhem em colocar a sua fé em homens em vez de Deus. Na verdade, é necessário mais fé para não acreditar em Deus do que é necessário para acreditar Nele.

Okay Kris, aonde é que queres chegar com tudo isto? Eu estou simplesmente a tentar realçar o facto de que todas as pessoas vivem pela fé. Tu é que decides em quem colocas essa fé.

O Que É Que Estás A Fazer Com Essas Grandes Questões?

Pessoalmente, eu escolhi confiar em Deus. Se Ele diz que Ele amou o mundo de tal maneira que deu o Seu único filho e, continua dizendo que há um inferno para o qual algumas pessoas irão; então eu acredito Nele porque eu confio Nele.

Eu não consigo reconciliar o inferno e o amor de Deus na minha mente, nem consigo explicar como é que eles coexistem. Contudo, Deus tem 100 biliões de anos de mais experiência do que eu tenho e, por isso, é razoável acreditar que há factos que ainda estão por ser descobertos pela humanidade que Deus está a par. Este mesmo princípio aplica-se às nossas outras grandes questões sobre Deus, o mundo e a fé.

Muitas vezes, o que parece não ser razoável para a nossa compreensão é simplesmente uma área, em que, metaforicamente falando, falta-nos anos de tecnologia para explicar o buraco de incongruência ao longo do tempo! Por isso, no final do dia nós temos que escolher fé no Seu carácter, mesmo quando nós não temos as respostas para as nossas grandes questões. Isto é algo com que tu lutas? Como é que encontras paz no mistério? Eu gostaria de ouvir os teus pensamentos nos comentários abaixo!

Topics: IdentidadeLiberdadeMoralidadeSem categoria


¡

comments